Sunday, July 17, 2011



Na terra do amor todos são felizes, cada “Bom dia” é um “gosto de ti; cada olhar vê maravilhas, Francisca! cada olhar vê coisas belas, Gabriela!
É onde moram os bebés ainda por nascer, as almas na eternidade felizes e daí escolhem a mãe e pai que vão ter, para ensinar e aprender.
Da terra os pais, mãe e pai em conjunto, chamam o bebé com beijos , abraços, ternura, amor, para convencê-lo a pensar em sair da Terra do Amor.
Nascer custa, muito. Deixar a terra do Amor é assustador (Pois se é perfeito o lugar?!)
Mas antes de nascer cada um é avisado: “ também na terra, belo planeta, terás momentos de amor, aí sentir-te-ás em casa, pois é donde vens, da Terra do amor, onde tudo é colorido e saboroso.”
Um dia, aprendidas coisas e aventuras vividas, voltarás a casa( na altura contrariado, quase sempre!)à terra do amor, para descobrir que sempre estiveste acompanhado no passeio, e que nos momentos em que a música destoou contigo, foi a altura em que te superaste e foste ao céu buscar penas de anjo.
Cá em baixo é suposto dançar sempre, a vários ritmos, a vários tambores; sendo maestrina ou sem batuta; E uns aos outros damos cantigas e bailamos aos pares, sozinhos, às vezes.
Quando se nasce, esquece-se que somos de lá, que somos estrela feita gente, e desse esquecimento nasce o medo, o frio e o desalento.
Quando se parte, nesse mágico momento, pára o coração como motor de comboio a chegar à estação.
Um túnel mágico aparece e lá ao fundo há uma luz alaranjada e brilhante e árvores que dão corações saborosos, mistura de maça verde e laranja. Sente-se o perfume das flores misturado com gomas, chocolate e chantilly, isso faz reconhecer o caminho de casa. Está tudo bem.
Quando se parte, para a Terra do amor, como já disse, volta-se a ter o aspecto antes da descida ao belo planeta: estrela que brilha, energia pura, bailado de arco-íris é o que se avista da terra, pequenas lembranças de luz dessa terra luminosa.
Assim morrer é quando se volta para lá, para casa, para junto dos bebés que ainda não nasceram, e que ainda nem foram parar à barriga de ninguém…

6 Comments:

At 1:04 PM, Blogger nandokas said...

Olá!
Estou certo que num amanhã, mais próximo ou menos próximo, a Francisca e a Gabriela irão entender o texto muito bonito que lhes dedicaste. E obrigado pela tua partilha. Beijinhos para as três.

 
At 2:05 PM, Blogger Paulos said...

Minha querida nana, sou a pérola do blog perolas e granitos, lembraste? queria enviar.te um mail mas perdi a minha base de dados desse temo. Estou estupefacta, ja nao vinha aqui espreitat-te a algum tempo. beijinhos

 
At 12:01 PM, Blogger Luísa said...

Querida és sempre original e fabulosa!O Poema é LINDO e decerto que quando chegar a altura das Princesas entenderem irão gostar muito.És amorosa e NUNCA VOS ESQUEÇO.Estou e estarei SEMPRE ao teu dispôr querida.
Beijinhos grandes e obrigada por partilhares um Poema tão bonito comigo!
Sempre tua Amiga, Luísa.

 
At 4:32 AM, Blogger nana said...

Obrigada nandokas;
Obrigada, Paulos;
Obrigada, Luísa.

 
At 3:02 AM, Blogger Luísa said...

Nas Amizades não existem AGRADECIMENTOS querida, beijos à Kika, Mia e para Ti querida.

 
At 11:56 AM, Blogger Adam said...

NICE BLOG. CAN U PUT A LINK OF MY BLOG TO YOUR BLOG.
www.adamington.blogspot.com

 

Post a Comment

<< Home